A Menina do Coração Tagarela

Esse coração fala demais.

Revista Rock Meeting Nº 110

O que realmente importa



Foto: Jibennett

2018 tem sido um ano interessante para testar muitas coisas, aconselhar a quem precisa e viver algo novo. Conheci novas caras, aproximei as antigas e me afastei de outras, com qual objetivo? Só queremos ter o melhor agora. Não se trata de quantidade, mas de qualidade.

Naturalmente me afastei do que eu achava que já não era bom pra mim, para não dizer que não havia nada que pudesse devolver, afinal é uma troca, relações são trocas constantes.

Este ano eu aprendi a olhar mais para a economia, algo que eu já gostava e resolvi aproximar. Fazendo uma analogia com a vida, eu fiz algumas apostas, mas ainda não obtive retorno. As notícias que tive dessas apostas não foram nada satisfatórias. Sinto que apostei demais onde não deveria e, principalmente, parte deles, já havia dado sinal de que não era para investir. Fui teimosa!

Eu não deveria me importar tanto, mas me abalou bastante. Por quê? Eu realmente não sei bem dizer o que está acontecendo, mas sei que volta sempre pra mim. Volta todo um questionamento se há algo de errado comigo, se eu isso e aquilo... Se sou apenas parte de algum modo fantasioso... É só isso que penso.

Paro, me afasto e reflito, tento ver tudo de longe. Tento compreender o que realmente está acontecendo comigo, mas sabe o que realmente me deixa inquieta? É que desejo conversar, falar sobre isso e não encontro uma alma próxima. Tem hora que nem acho ruim, porque sei que não me entenderiam, mas quando precisam estou eu lá, pronta. Meus confidentes moram tão longe, nem sempre estão ‘próximos’ para ouvir minhas lamúrias e repetir para eles o que eu já havia dito lá atrás. Acho que não estou seguindo meus próprios conselhos lol.

Eu sempre falo que adorava ser como era, muito fria e que nada me abalava. Sinto saudades, é bem verdade, porém não posso voltar ao que era. Muita coisa mudou, eu mudei e por nenhum capricho devo ser o que fui, andar sempre pra frente.

No entanto, algo aconteceu e quero depois vir aqui ler e sentir a mesma coisa nestas palavras, necessariamente nesse parágrafo, de que me sinto mais livre para confidenciar meus percalços com alguém que eu desejaria ter ao meu lado, só não compreendia que ‘ao meu lado’ fosse o laço mais forte que existe, a amizade.

Um dia eu tive essa pessoa, mas a vida o levou. E ele mesmo estando distante, me ajudou muito mais do que as pessoas que estão ‘ao meu lado’ diariamente. ‘Life is a short trip’. Nunca vou esquecer dele.

Sempre aprendendo e buscando ser melhor. Meu momento agora é de estreitar ainda mais as amizades que tenho e sabe do que mais? Dane-se, vou viver!

Revista Rock Meeting Nº 109

Revista Rock Meeting Nº 108

Revista Rock Meeting Nº 107

Revista Rock Meeting Nº 106

Revista Rock Meeting Nº 105