A Menina do Coração Tagarela

Esse coração fala demais.

A Taverna das Ilustres Memórias - Parte III

No dia seguinte Amelia decide visitá-lo mais uma vez, era um dia tempestuoso, as águas que caiam do céu impediam de ela ir ao encontro do moço, mas não desiste e vai assim mesmo. Vai subindo a colina encharcada e, devido à chuva, tem muita dificuldade de chegar até a choupana, vai segurando entre as árvores que servem de guia até chegar à morada de Ulrich. Molhada, suja, despenteada, com frio, finalmente, chega até a casa dele. Surpresa! Ele não está. Sem qualquer explicação ela continua lá na tentativa de esperar por ele. A chuva continua a cair sobre aquele vilarejo e a paisagem que antes era maravilhoso por suas cores e formas agora tem um tom melancólico e escuro. Ela continua esperando pelo seu querido amigo e nada de ele aparecer, esperançosa continua no mesmo local. E continua chovendo!

É chegada a tarde e nada de Ulrich, preocupada Amelia decide ir embora, e assim o faz. Todos os dias a jovem foi até o alto da colina para encontrar o seu amigo e ele não chega. Por muito tempo ela fez o mesmo trajeto. Vai até a Taberna, onde ele costumava ir, para saber se ele disse algo a respeito de sua saída do vilarejo.

- Taberneiro, por favor, tu conheces Ulrich e gostaria de saber se tens alguma notícia dele, todos os dias subo até o alto da colina e encontro sua casa fechada. Ele não me disse nada, sabes de alguma coisa?

E ele responde.

- Ele apenas disse que irá passar alguns dias fora e disse, também, que tem alguém que ele deve lutar.

Amelia sai da Taberna frustrada e um pouco esperançosa. No período que passou a ir a colina começou a nutrir um sentimento incomum para ela. Não sabia que nome poderia dar, sentia e com muito fervor.

Passou-se muito tempo até a volta de seu amigo e ela estava na porta a sua espera. Ele estava diferente, uma aparência mais serena, mais segura e mais jovial. Ela não percebe que ele chegara de sua longa jornada. Meio que de surpresa ele chama por ela. Amelia salta em seus braços e felicita sua volta. Eles permanecem em um longo e caloroso abraço como se os dois já possuíssem uma vida juntos. E ficaram a contemplar aquele fim de tarde que era um dos mais belos. Após toda a recepção Ulrich leva a moça para casa.

Amanhece e logo cedo Amelia sobe a colina para encontrá-lo mais uma vez e estava ele como se estivesse esperando por ela, sorridente. Ao chegar lá, quase que sem fôlego, Ulrich entrega uma flor para ela e a única coisa que poderia fazer naquele instante era sorrir. A manhã era uma das mais lindas em todos os tempos. Não havia semelhante cor do céu ou do lago, nem o campo era tão verde, tudo favorecia para ser um dia inesquecível. E foi!

Amélia não esperava por nada apenas queria estar com a pessoa que nutri suas esperanças de ter uma vida feliz, mas não sabia se era possível, achava impossível de isso acontecer, acreditava que ele foi à busca de sua amada e ela só queria estar perto dele mais uma vez antes que ele se fosse novamente. Ulrich foi contando o que se passou durante sua ausência.

- Amélia depois daquela visita que me fez e me questionou sobre a minha resposta eu me dei conta que deveria fazer alguma coisa para a minha vida. Antes de ir passei na Taberna, tomei um pouco de hidromel, falei com o taberneiro e fui embora. Durante esse um ano que estive fora percebi que tinha alguém por quem lutar e encontrei. Conheci muitas pessoas, foi muito bom para mim este tempo fora e foi o suficiente para mostrar por quem realmente lutar.

A jovem apenas ouvia o que ele tinha a dizer sobre suas experiências fora do vilarejo, ela sem muito que dizer exprimiu o que fazia durante este tempo sem ele estar presente, imaginando ela que não teria de enfrentar a pior notícia, ele só queria ver as intenções dela a fim de ter certeza do que ele já tinha em mente.

- Ulrich, meu amigo, no dia em que soube que havia viajado eu estava aqui na porta de sua casa, molhada devido à forte chuva que caia e passei a fazer isso quase que todos os dias na esperança que você voltasse, conversei com o taberneiro e ele me falou que você tinha ido e disse que foi lutar por alguém, fico feliz que tenha feito isso. E como já sabe, quando você voltou estava aqui à sua espera. E acredito que a pessoa que você escolheu será muito feliz ao seu lado.

O rapaz acompanhou cada movimento dos olhares e da maneira que Amélia falava e percebeu que sua ida para o mundo não tinha sido em vão. Meio magoada e tristonha volta para casa. No outro dia ao entardecer Ulrich vai até a casa dela e convida para ir a Taverna. Estava cheio o lugar, muitos viajantes e alguns moradores estavam lá. Escolheram uma mesa mais reservada e conversaram sobre muitas coisas, mas a intenção de Ulrich era ter certeza de seus sentimentos pela moça e a cada momento sabia que ele tinha por quem lutar.

5 Comentários:

Teremos um final feliz aqui?

 

Peeei, eu prometi que iria passar aqui, no entanto, demorei pracaramba, maass não esqueci! Vou linkar o seu blog no NESSULLIUS.COM viu? Está muito lindo esse visual, tá nível profissional viu fia? Vê se não fica metida kkkkkkkkkk Beijo :* Vou ler os outros posts!

 

Aaaaaaaaaaai que lindo *_* Ele tá apaixonado por ela :D E aí, eles ficam juntos?

 

Você no 'FICA A DICA'!

http://oqueeupossodizer.blogspot.com/

Beijão :*