A Menina do Coração Tagarela

Esse coração fala demais.

Sempre sonhe comigo

Sempre sonhando deixou de lado à realidade que cercava, agora vivendo de ilusões lamenta por não ter conquistado sua própria liberdade... Ao seu grande amor perguntou e não soube responder; a visão é pouca e discernimento falho para uma mente fraca, ainda sim continua a questionar ao seu amor porque ele já não está com ela, porque a deixou que caísse e não a segurou, porque ele não sonha... Dentre inúmeras desilusões, finalmente respondeu, ela ouviu atentamente casa palavra, cada expressão dos sentimentos dele, observou sua voz trêmula ao dizer cada frase e, certamente, chorou... Banhada em lágrimas em tanto murmurar sues anseios ao seu amor vive os segundos como uma eternidade, não crê que aquilo acontece e abalada retruca a ação do seu amor: vivi e sei o quanto sofri, sempre sonhando que estava e você não percebia, sendo eu uma menina indefesa e cheia de encantos, desprezou-me perante as poucas vezes que deixou de olhar para mim e entender ao menos um sorriso que compartilhei contigo e nada fizeste para contemplar o infinito horizonte comigo e realmente estou sonhando por não acreditar que tal menção falou a mim e agora... Agora deixo que este tempo seja curto e proveitoso. Não quero, não agüento e o desprezo. Tentando engolir cada palavra, ele não suportou e disse: Sempre sonhei com você, sempre pensei em estar ao se lado e não imaginava um instante sem ti... Ela, exaustivamente, saiu daquele âmbito. Foi caminhando para algum lugar, todos que a viam pela rua não entendia o motivo que a levara a andar e desaguando num choro, praticamente, eterno. Suas esperanças haviam sido desfalecidas no instante de declaração do seu amor e desposou-se à beira de algum rio e ali ficou para aguardar em silêncio e compreender o que aconteceu... Vendo as folhas caírem, o vento tocar seu rosto enxugando as lágrimas que não cessavam, ouvindo o canto dos pássaros que não agradava mais como antes ela descansa. O seu amor estando a sua procura para se redimir não a encontrava, ela ainda descansa à sombra da árvore que ajuda a ceifar e enterrar sua dor profunda por alguém ter desfeito seu sonho. Ele acha encostada jogando pedrinhas a sorte, sem perceber sua presença, ele contempla o que nunca tinha feito, ele observa de outra maneira e acaba percebendo que já não se faz presente na vida dela e vai embora. E ela sofre, sofre como se houvesse retirado algo, e foi, o seu amor a deixou e quebrou o seu sonho tão real e só ele não entendeu. Nesse momento ela, sempre sonhando, continua a sua ida sem ele e concebe forças que não entende, mas ganha e decide resistir... Sempre sonhe comigo foi o que ela dizia para o seu amor; hoje ela diz para si o contrário: sempre sonhe comigo esquecendo-se de mim, um novo dia está por vir e eu não estarei aqui, para pedir novamente... Deixe-me e irei ao encontro do sonho que sempre sonhei.